SHOW_ Jamie Cullum brinca com celular de fã na apresentação em São Paulo O multi-instrumentista jazz-pop-rock alegrou a noite de quem assistiu o show nessa sexta-feira pelo Best of Blues no Tom Brasil

O multi-instrumentista ingles, Jamie Cullum, se apresentou na noite dessa sexta feira (21) no Tom Brasil, zona sul da capital. (Foto: Ale Frata/Marofa Music)

JAMIE CULLUM – Tom Brasil – São Paulo – 21/10/2016 por Ale Frata

O músico, mais conhecido pelos acordes de piano e voz marcante, também mostrou grandes habilidades com a percussão, empolgando o público que lotou o Tom Brasil para a última apresentação do Best of Blues em 2016. Logo no início Jamie Cullum assumiu as baquetas e foi para a percussão, que já na segunda música foi trocada pelo piano, instrumento que claramente é o oficial do músico multi-instrumentista.

Com espírito alegre e bom humor de sobra, o inglês interagiu bastante com o público, que no meio do show abandonou seus lugares, a pedido do músico, e foi para a frente do palco, algo que com certeza desagradou quem pagou uma nota para estar ali nas primeiras mesas. As casas de show deveriam fazer algum tipo de pesquisa, antes de colocar mesas na pista. Esse foi um exemplo muito claro que o público não queria ficar sentado, assim como aconteceu semana passada no show do Titãs no Teatro J Safra.

Dono de um Grammy, dois Globos de Ouro, dois GQ Homem do Ano, três Brit e três Radio Sony, entre outras dezenas de indicações e prêmios, Cullum produziu seu primeiro álbum “Heard it All Before” com apenas 480 euros, e logo no segundo disco, “Pointless nostalgic”, três anos mais tarde, obteve reconhecimento de público e crítica. O sucesso do disco rendeu ao cantor um contrato com o selo Verve Records, hoje pertencente à Universal Music.

O músico veio acompanhado de Brad Webb (bateria, percussão e vocal), Loz Garratt (baixo), Rory Simmons (guitarra e trumpete) e Tom Richards (sax e teclados).

O momento mais inusitado, foi quando Jamie pegou o celular de um fã, que estava logado num bate papo de vídeo, e começou a interagir com a pessoa do outro lado, que não estava presente no show. Ele cantou “olho-no-olho”, girou 360º para que a pessoa tivesse uma ideia do palco, deixou o aparelho em cima do piano virado para o público e para finalizar, pegou um outro celular logado em outra vídeo conferência e os deixou cara-a-cara. O músico também pulou no meio da plateia e cantou lá de baixo, levando os fãs ao delírio.

Na introdução de piano, em uma das músicas no final do show, um silêncio quase absoluto foi quebrado por um fã de voz grossa que gritou do fundo “I love you”, no melhor humor do mundo Jamie Cullum respondeu com voz robótica “I love tou too” e arrancou aplausos da platéia.

O bis foi entoado por um coro da plateia, e asism que Jamie voltou, sinalizou para que o público não parasse de cantar e ele improvisou algo no piano, com tentativas de palavras em português, mas como ele mesmo disse: “Não me lembro como se diz isso em português”.

SET LIST*

  1. The Same Things
  2. Get Your Way
  3. Don’t You Know Me Babe
  4. Mind Trick
  5. What a Diff’rence a Day Made (María Grever cover)
  6. Save Your Soul
  7. Everlasting Love / Next Year Baby
  8. I Get a Kick Out of You (Cole Porter cover)
  9. Love for Sale (Cole Porter cover)
  10. When I Get Famous
  11. Don’t Stop the Music (Rihanna cover)
  12. All at Sea
  13. High and Dry (Radiohead cover)
  14. Uptown Funk
  15. Twentysomething
  16. Mixtape
  17. These Are the Days
  18. Gran Torino

NO PIT

O pit de fotógrafos estava tranquilo, exceto pelos “profissionais de iPhone” que insistem em se juntar aos fotógrafos, a fim de captar uma boa imagem com seu celular e tumultuar o espaço que quase sempre é limitado e exclusivo para profissionais. Logo que entramos, o povo da primeira fila (aquele mesmo, que no meio do show não conseguiu conter a massa que colou no palco) chegou a reclamar da nossa presença. Com jeitinho, explicamos que eram apenas três músicas e que logo sairíamos de lá, com isso até começamos um bate-papo informal, só não comentamos o que realmente poderia acontecer, e aconteceu.
A luz do Tom Brasil estava excepcional, e o piano colocado bem à frente do palco, com o músico principal, facilitou nosso trabalho. Mais um para a conta. Confira as fotos de Ale Frata em mais uma cobertura para o Marofa Music.

Até o fechamento, não tivemos acesso ao set list do show, mas assim que conseguirmos, atualizaremos a matéria.

 

Sobre Ale Frata 50 Articles
Fotógrafo, publicitário e editor do Marofa Music. Ex-baterista do 1853, para não ficar longe dos palcos, hoje fotografa shows e espetáculos, além de futebol e outros segmentos. Dentre os estilos musicais, o predileto é rock n' roll, sem rótulos. Tattoo pra acompanhar.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.