SHOW_ The Dead Daisies e Richie Kotzen, hard rock da melhor qualidade A dobradinha comemorou o Dia Mundial do Rock em São Paulo com muito estilo, atitude e experiência no palco

Richie Kotzen • Foto: © Ale Frata/Marofa Music

THE DEAD DAISIES & RICHIE KOTZEN_ São Paulo, 13/07/2017 – Carioca Club • Em comemoração ao Dia Mundial do Rock, São Paulo recebeu um time de roqueiros de primeira linha, com muita história na bagagem. O The Dead Daisies, banda formada por músicos com vasta experiência nos palcos do heavy metal e hard rock, abriu a noite com pegada e muito estilo. Formada por John Corabi nos vocais, Doug AldrichDavid Lowy nas guitarras, Marco Mendoza no baixo e Brian Tichy na bateria o quinteto fez um show recheado de clásssicos. Na sequência, o guitarrista Richie Kotzen, que já tocou com Poison, Mr. Big e Stanley Cark fez uma apresentação mais eclética, misturando o hard rock com um trabalho mais voltado ao jazz e soul.

The Dead Daisies • Foto: © Ale Frata/Marofa Music

O show do The Dead Daisies, logo no início apresentou algumas falhas técnicas no microfone de John Corabi, mas isso não apagou o brilho do artista nem do espetáculo. O frontman conduziu muito bem e sua presença de palco veio acompanhada de sua voz potente e marcante. Corabi ficou famoso como vocalista do Mötley Crüe, quando substitui Vince Neil e gravou o álbum homônimo da banda.

O insano baterista Brian Tichy, com pegada firme e precisa, divertia-se a cada compasso, jogando as baquetas para cima ou girando-as nas mãos, o que sem dúvida foi um show à parte. Brian tocou com OzzyForeigner, Billy Idol, Glenn Hughes, Velvet Revolver e muitos outros.

O guitarrista Doug Aldrich, que já fez parte de bandas consagradas como Dio e Whitesnake, e recentemente esteve no Brasil ao lado do baixista Glenn Hughes, simplesmente arrasou. Riffs precisos e solos matadores encantaram o público. Conduziu as músicas na maior parte com sua Gibson Les Paul Standard, o que garantiu excelente sonoridade.

O baixista Marco Mendoza ganhou o público ao descer do palco e tocar quase uma música inteira no meio da plateia que estava na pista, sem contar a performance surpreendente no palco e o clássico portunhol para se comunicar com o público. Mendoza também tocou no Whitesnake, além de Thinn Lizzy e Ted Nugent.

O guitarrista e co-fundador da banda, o australiano David Lowy, talvez o menos famoso nos palcos também mandou muito bem, garantindo firmeza na guitarra base e coerência com o restante da banda. David tem uma carreira profissional fora da música muito sólida, na área de investimentos em uma empresa da sua família e na aviação, onde foi campeão australiano de acrobacias aéreas.

Richie Kotzen • Foto: © Ale Frata/Marofa Music

O segundo show da noite, ficou por conta do guitarrista Richie Kotzen, que apresentou uma mescla de estilos, com pegadas de hard rock e soul music, exagerando um pouquinho nos solos individuais do power-trio. O ex-guitarrista do Poison, além da guitarra, tocou teclado, que ligado a um pedal, deu efeito bem interessante, substituindo a guitarra. Richie veio acompanhado de Mike Bennett na bateria e Dylan Wilson no baixo, músicos de extrema competência que tiveram bastante espaço durante o show para mostrar seu potencial. Quem esteve no Carioca Club a fim de comemorar o Dia Mundial do Rock, conseguiu e saiu satisfeito.

 

SET LIST • THE DEAD DAISIES

Long Way to Go
Mexico
Make Some Noise
Fortunate Son (cover Creedence Clearwater Revival)
Last Time I Saw the Sun
Join Together (cover The Who)
With You and I
Mainline
Helter Skelter (cover The Beatles)
Parasite (cover KISS)
Midnight Moses (cover The Sensational Alex Harvey Band)

SET LIST • RICHIE KOTZEN

End of Earth
Socialite
Meds
Go Faster
Love Is Blind
Your Entertainer
My Rock
Cannon Ball
I Would (acústico)
High (acústico)

BIS
Fear
Help Me
This is Life

You Can’t Save Me

Fonte: SetList.fm

Confira a cobertura fotográfica exclusiva para o Marofa Music.

THE DEAD DAISIES

RICHIE KOTZEN

Texto: Ale Frata e Tatá Pellegrini | Fotos: Ale Frata

Sobre Ale Frata 50 Artigos
Fotógrafo, publicitário e editor do Marofa Music. Ex-baterista do 1853, para não ficar longe dos palcos, hoje fotografa shows e espetáculos, além de futebol e outros segmentos. Dentre os estilos musicais, o predileto é rock n' roll, sem rótulos. Tattoo pra acompanhar.